De Regina Pacheco a 6 de Janeiro de 2010 às 15:52
Eh lá!!! Amar não é só descobrirmos a nossa riqueza...amar também é descobrirmos as nossas fraquezas, as nossas paranóias, as nossas manias, a nossa doçura...tudo e mais alguma coisa quando amamos, mas nem sempre é bom! Porém, vou arranjar maneira de concordar com a frase porque ao nos descobrirmos por inteiro (ou mesmo só em fracções!) vamos sempre acrescentar algo ao nosso ser - nem que seja para retirar alguma coisa do nosso ser, isso também é sempre um acrescento! Por isso, amar é sempre bom e faz-nos sentirmos muito ricos, muito privilegiados. Temos algo ou alguém que nos fornece essa riqueza que preenche o nosso ser interior - se não for para sempre, pelo menos enquanto durar! E essa vai sempre permanecer sempre: seja pela aprendizagem, seja pela ternura ou seja pelo amor que (ainda) permanece! Pareço um pouco reticente ao "para sempre", porque custa-me acreditar no "para sempre" - o para sempre parece-me tanto tempo...prefiro o " que seja infinito enquanto dure"! Beijinhos grandes, Gato!


Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.